CONCURSO

DPE-PA ATENDE REIVINDICAÇÃO DO SINJOR E ANUNCIA VAGA PARA JORNALISTA

O chefe da DPE-PA, informou que a Assessoria de Comunicação (Ascom) é um serviço estratégico e respeitado pela instituição

O próximo concurso público da Defensoria Pública do Estado do Pará (DPE-PA) ofertará uma vaga de jornalista para cadastro de reserva. A decisão é histórica e resultado de entendimento entre o Sindicato de Jornalistas no Estado do Pará (Sinjor-PA) e o defensor público geral do Pará, João Paulo Lédo.

O defensor público geral recebeu a comitiva do Sinjor-PA em audiência, nesta quarta-feira (30), na sede da DPE-PA, para debater uma pauta, que tinha entre os principais assuntos a abertura de vaga no concurso público. O certame está em fase de elaboração pela instituição.

O presidente, a vice-presidenta e o assessor jurídico do Sinjor-PA, respectivamente, Vito Gemaque, Rose Gomes e Virgílio Moura explicaram ao defensor geral a importância da criação da vaga no concurso para a categoria, que tem a função social de informar a sociedade sobre direitos, serviços e ações da DPE, entre outros, garantindo transparência ao serviço público. Destacaram também a necessidade de fortalecimento do mercado de trabalho do jornalista, em especial no setor público, onde o ingresso pode ser por livre nomeação (DAS) ou por concurso público, conforme a legislação brasileira.

O chefe da DPE-PA, informou que a Assessoria de Comunicação (Ascom) é um serviço estratégico e respeitado pela instituição, que hoje conta com três jornalistas diplomadas e registradas, contratados em processo de livre nomeação. João Paulo Lédo expôs sobre o desafio da Defensoria, que tem a missão de promover o direito ao acesso à justiça a todos hipossuficientes, seja de forma individual ou coletiva, em todo o Pará. Nesse contexto, destacou também o desafio da Ascom para atender à imensa demanda da instituição.

Atendendo à solicitação do Sinjor-PA, o defensor público geral anunciou a criação da vaga, que não estava contemplada no projeto inicial do próximo concurso. O cargo é previsto no quadro legal da instituição e será aberto vaga em cadastro reserva como forma de atender à reivindicação, que reconheceu como justa; e, ao mesmo tempo, observar a legislação.